Sunday, August 27, 2006

A farsa de Heloísa Helena

Farsa de Heloísa (PSOL PSTU e PCB) contra a "Farsa Radicalóide" dos Sem-Terras
Por Denilson Cornelius - Thursday, Aug. 17, 2006 at 7:36 AM
cornelius@hotmail.com.br


Hoje, os " farsantes radicalóides" e "covardes políticos" de Heloísa Helena, os "ultra-esquerdistas isolados" do PSTU, que agiram fora do controle político desses partidos, foram formalmente denunciados com base na Lei de Segurança Nacional (LSN), conhecida como Lei da Ditadura, e acusados dos crimes de formação de quadrilha, crime contra a segurança nacional e resistência qualificada, bem como lesões corporais leves e graves e danos ao patrimônio público.

Para Heloísa Helena da Frente de Esquerda de linha socialista pequeno-burguesa - PSOL PSTU PCB - teve razão o Senador Magno Malta do Partido Liberal do Espírito Santo (PL - ES) ao ajudar a condenar, com violência verbal, a violência física dos sem-terras miseráveis, que invadiram o Congresso Nacional brasileiro em busca de reforma agrária.

Heloísa Helena disse o seguinte sobre a recente invasão violenta dos sem-terras brasileiros miseráveis, condenando a ação independente das massas : "...Então, temos que deixar claro o repúdio. E, volto a repetir, faço isso com tranqüilidade. ... Muitas pessoas que detestam o Congresso Nacional, que não respeitam o Congresso Nacional, pela posição acovardada e corrupta de alguns, até devem achar interessante, como bem disse o Senador Magno Malta (Partido Liberal do Espírito Santo)."

Para a candidata a presidente da Frente de Esquerda, de caráter socialista pequeno-burguês - PSOL PSTU PCB - os sem-terra que invadiram com violência o Parlamento Brasileiro escolheram "o endereço errado", cometeram "ato de covardia política", agiram provocando "farsa radicalóide".

Também para os ideólogos do PSTU, os 550 presos, entre mulheres e crianças, que invadiram o Congresso Nacional e foram levados para o "ginásio da tortura", e os 42 presos da "farsa radicalóide" que elegeram "o endereço errado", e hoje estão na Penitenciária da Papuda, agiram com caráter "ultra-esquerdista", deslocados e isolados do movimento.

Hoje, os " farsantes radicalóides" e "covardes políticos" de Heloísa Helena, os "ultra-esquerdistas isolados" do PSTU, que agiram fora do controle político desses partidos, foram formalmente denunciados com base na Lei de Segurança Nacional (LSN), conhecida como Lei da Ditadura, e acusados dos crimes de formação de quadrilha, contra a segurança nacional e de resistência qualificada, bem como lesões corporais leves e graves e danos ao patrimônio público.

A Lei de Segurança Nacional (LSN), de 1969, renovada em 1983, é lei dos tempos da Ditadura Militar, já amplamente utilizada no Brasil para prender, torturar e matar quem se opõe à ordem "parlamentar" burguesa e latifundiária brasileira. Essa lei está plenamente de acordo com a Constituição burguesa e latifundiária do Brasil, que Heloísa Helena quer respeitar para fazer Reforma Agrária no país.

Pergunta à Heloísa, no Jornal Nacional da Rede Globo : A SENHORA VAI TOMAR TERRAS DE PROPRIETÁRIOS RURAIS QUE PRODUZEM E EMPREGAM ?" Heloísa : "EU NÃO POSSO MEU AMOR, PORQUE A CONSTITUIÇÃO O PROÍBE ... NADA PODE SER FEITO ALÉM DAQUILO QUE A LEGISLAÇÃO EM VIGOR NO PAÍS."

Assim, tanto o governo brasileiro - PT de Lula e PCdoB stalinista de Aldo Rabelo e Altamiro Borges - quanto as oposições de direita burguesa de Alckmin e a esquerda pequeno-burguesa liberal do PSOL PSTU PCB, reunidos em torno de Heloísa Helena, condenam, de diferentes formas, em seus jornais a ação dos sem terras "covardes políticos".

Dizem que farão campanha pela libertação dos "farsantes radicalóides" e "ultra-esquerdistas isolados", porém, na prática, fornecem argumentos em seus jornais de larga circulação para que o juiz Ricardo Augusto Soares, da 10a. Vara da Justiça Federal de Brasília, na prática os meta na cadeia por vários anos por "radicalismo farsante" e o "ultra-esquerdismo isolado".

No tapetão do toma lá da cá da Frente de Esquerda, o PSTU, acobertando a brutal violência verbal de Heloísa Helena contra a violência da miséria dos sem terras, saiu "ganhando" e recebeu as candidaturas para o Senado e Governo.

Na Frente de Esquerda, de linha socialista pequeno-burguesa liberal, PSOL PSTU e PCB empurram hoje com o umbigo para a frente, apoiados nas pesquisas eleitorais alimentadas pelo oportunismo populista crescente, seu programa / manifesto por eles chamados de "programa anti-imperialista", que estaria a favor de uma "reforma agrária no Brasil", feita com respeito à Constituição burguesa e latifundiária brasileira.

O PSTU assumiu, além disso, no quadro da Frente, a inútil atividade de comentar criticamente, desde o ângulo dito "revolucionário", o programa de governo de Heloísa Helena e César Garotinho sobre a construção de um "projeto nacional", poder a Reforma Agrária ser feita ou não conforme a Constituição Brasileira de 1988, expropriando-se apenas os "latifundios improdutivos", deixando de fora as incalculáveis riquezas fundiárias da Volkswagen, da Votorantim, da Mannesman, das multinacionais e do agronegócio do café e da sója, sobre a natureza dos conceitos benjaminianos de "elite e povo", ao invés de classes sociais, "elevação da cidadania brasileira", "democracia ampliada", "independência dos três poderes", parte da economia sobre o controle do Estado e parte da economia sobre o controle privado, e tantas outras belas coisas, condizentes com a mais autêntica perpectiva socialista pequeno-burguesa, como financiamento da Volkswagen pelo BNDES como forma de combate ao desemprego, mesmo contra a vontade dos representantes da Comissão da Fábrica da Volks.

Heloísa Helena, ela mesma, disse à Folha de São Paulo que defende a criação de uma linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para compensar as perdas das indústrias montadoras capitalistas brasileiras com a redução das exportações e, assim, salvá-las da crise. Aí entra a super-capitalista, Volkswagen, que, segundo o raciocínio matrix, deve ser salva pelo BNDES e pelo Brasil, por causa da redução das exportações, para que, então, a Volks salve o desemprego crescente que invade o país.


"Que se vaiem todos ?" - Nem pensar : é melhor estar na Frente e negociar aí mandatinhos no Parlamento, mesmo com um "programa anti-imperialista" como esse !

Então, "Que se aplaudam todos !" A militância "revolucionária" brasileira está sendo chamada a votar em Heloísa, no "intelectual" Vice César Garotinho "respeitado" pelo PSOL PSTU e PCB e seus colaboradores regionais e também votar no "programa anti-imperialista" da Frente de Esquerda, dirigida pelo socialismo pequeno-burguês, porque segundo Heloísa Helena :

"Isso não é atitude radical coisíssima nenhuma! Isso é uma farsa radicalóide de uma direção partidária vendida, que busca tentar amenizar os conflitos com suas bases, que estão morrendo de fome porque não há reforma agrária. ...

... Então, por que vir para cá? Qual é a justificativa de vir ao Congresso Nacional? Digo sempre que o Congresso Nacional está desmoralizado. Se um cidadão entrasse nesta Casa para fazer algum ato de agressão, eu até entenderia por que isso poderia estar acontecendo.

... Então, temos que deixar claro o repúdio. E, volto a repetir, faço isso com tranqüilidade. Absolutamente com tranqüilidade. Sei que o que desmoraliza o Congresso Nacional é o mensalão, é a covardia diante do Congresso Nacional, é não convocar o Congresso para derrubar veto. Eu sei o que é que desmoraliza o Congresso Nacional. E sei também que muitas pessoas que acompanham os trabalhos do Congresso Nacional devem estar achando até interessante.

Muitas pessoas que detestam o Congresso Nacional, que não respeitam o Congresso Nacional, pela posição acovardada e corrupta de alguns, até devem achar interessante, como bem disse o Senador Magno Malta (Partido Liberal do Espírito Santo).

Mas é importante deixar claro que o endereço está errado. O endereço está errado. Quem desmoraliza o Congresso Nacional é a turma dos dólares nas peças íntimas do vestuário masculino, é a turma da remessa de bilhões de dólares para os paraísos fiscais para pagar contas do Sr. Lula e do Sr. PT, é a turma da base de bajulação do Governo que não obriga o Governo à execução orçamentária para os recursos da reforma agrária. Não é o pobre funcionário aqui do Congresso Nacional. Não é!

Os nossos Parlamentares do P-SOL, que inclusive aqui estão - o Deputado Babá, o Deputado João Alfredo -, tiveram um papel muito importante no debate, na defesa da reforma agrária, na defesa dos movimentos sociais, na não-criminalização dos movimentos sociais.

Mas, volto a repetir, o endereço está errado. O endereço é do outro lado da praça, o endereço é lá no Palácio do Planalto.

Não é o Congresso Nacional que descontingencia verba, não é o Congresso Nacional que não executa, apesar, volto a repetir, de as maiorias de Senadores e Deputados que são da base de bajulação do Governo Lula, que não se respeitam, que acobertam ladrão de ambulância, mensaleiro e outras coisas mais, que geram a indignação da sociedade de uma forma em geral. Mesmo com tudo isso, não podemos aceitar o ato de covardia política, da farsa radicalóide que foi o ato que acabou acontecendo hoje aqui."

http://jornalnacional.globo.com/Jornalismo/JN/0,,AA1247088-3586-518095,00.html

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u80651.shtml
http://www.congressoemfoco.com.br/Noticia.aspx?id=8410
http://www.psol.org.br
http://www.pstu.org.br

From: argentina.indymedia.org

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home