Monday, September 18, 2006

Presidente do Irão em Caracas para assinar acordo energético

O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, chegou hoje a Caracas para assinar uma série de acordos no sector energético, tendo à sua espera o presidente Hugo Chávez, que saudou os «guerreiros do Médio Oriente» em nome dos «guerreiros das Caraíbas».

«Duas revoluções de povos livres estão de mãos dadas, a dos persas e a dos filhos de Bolívar», declarou o chefe de Estado venezuelano ao acolher Mahmud Ahmadinejad.

Chávez aproveitou a ocasião para desmentir a alegada intenção de lançar um programa nuclear com ajuda iraniana.

«Já começaram os ataques dos inimigos no interior do país e, também, dos imperialistas, segundo os quais os iranianos querem fabricar a bomba atómica com urânio venezuelano de uma mina na Guiana«, disse Chávez.

«Nunca se cansam de mentir», invectivou, rematando: «As mentiras cairão frente à verdade e à rectidão moral».

Recentemente, o embaixador colombiano junto da Organização dos Estados Americanos (OEA), Camilo Ospina, declarou que Caracas está a desenvolver um programa nuclear com a ajuda de Teerão, em instalações secretas dentro de fábricas de bicicletas«.

O Presidente Alvaro Uribe desmentiu imediatamente o diplomata.

Todavia, numa entrevista à CNN em língua espanhola, Chávez não excluiu, a longo prazo, uma colaboração no sector nuclear com o Irão.

O chefe de Estado venezuelano e o seu homólogo de Teerão participaram entre quinta e sexta-feira na Cimeira do Movimento dos Não-Alinhados, em Havana, onde a organização sufragou o programa nuclear alegadamente civil dos iranianos.

Está previsto que ambos os presidentes inaugurem hoje um centro de formação profissional da empresa Pequiven, filial petroquímica da companhia petrolífera estatal PDVSA, bem como uma mesquita na região de Moron, 120 quilómetros a oeste de Caracas.

Na segunda-feira, ainda assistirão à perfuração de um poço de petróleo irano-venezuelano na grande jazida da bacia do rio Orenoco (Sudeste), onde Chávez garante haver a maior reserva mundial, estimada em 235.000 milhões de barris.

Caracas e Teerão, membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), estão em sintonia nas suas posições anti-Washington.

Estão previstas outras visitas dos presidentes a empresas mistas de produção de aço, medicamentos, equipamento cirúrgico, fabrico de tractores agrícolas, explosivos, automóveis familiares e computadores.

Chávez homenageou a revolução islâmica desencadeada em 1979 com o derrube do Shá Reza Palhevi, que fugiu para os Estados Unidos, porque era »um protegido« de Washington, disse.

O desenvolvimento iraniano que se seguiu - adiantou - permite actualmente uma »ajuda generosa«, traduzida na »transferência de tecnologia«.

Desde 2000, o presidente venezuelano já esteve quatro vezes no Irão.

Chável e Ahmadinejad são esperados segunda-feira em Nova Iorque, para participarem na 61/a Assembleia-Geral das nações Unidas (ONU).

Diário Digital / Lusa, 18/o9/2006

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home